Buscar
  • Victor Hugo Ribeiro

Moldar a cultura de inovação nas organizações é papel estratégico das lideranças.


No ambiente organizacional, o processo de criação precisa ser apoiado por uma cultura focada em inovação. Entretanto, um dos maiores desafios enfrentados por qualquer empresa nos tempos atuais é moldar a sua cultura de inovação. Neste sentido, torna-se então necessário um novo estilo de liderança, que proporcione um comportamento organizacional intensamente empreendedor, ágil, criativo e que desafie a sua equipe a sair do convencional e a experimentar novos caminhos


Quando a inovação faz parte da cultura organizacional, as chances de que a empresa consiga inovar com sucesso são muito maiores. Afinal, dessa forma, todos os colaboradores estarão envolvidos e focados no mesmo propósito e seus líderes preparados para uma atuação inovadora frente às novas demandas do mercado.


Observar o comportamento da liderança pode ser um bom começo para a promoção de mudanças nas organizações, uma vez que não adianta investir em projetos inovadores e criar programas que incentivem a inovação, se o líder não abraça e incentiva o jeito inovador de pensar e atuar em cada área e processo. Ou seja, a inovação não pode ser um departamento ou projeto isolado, precisa ser incorporada, na prática, ao mindset global da organização.


Então, qual é a característica mais importante de um CEO para o desenvolvimento da cultura de inovação em uma organização? A resposta do professor de Liderança no IMD, escola de negócios suíça, Ben Bryant, é objetiva: interesse genuíno em aprender. Pessoas interessadas em aprender, segundo Bryant, têm visão crítica em relação a si mesmas e aos outros, exploram os seus medos e confusões e são abertas a surpresas. Do outro lado, estão aquelas que perderam o interesse em aprender com o ambiente onde estão envolvidos. Bryant considera três fatores cruciais para que líderes deixem de aprender: excesso de convicção e dependência, comportamento defensivo e medo da vulnerabilidade.


Um número, cada vez maior, de corporações tem apostado no desenvolvimento de conhecimentos, habilidades e atitudes das suas lideranças alinhados aos propósitos da organização, no que tange a gestão da inovação. Preparar as lideranças para os desafios relacionados às exigências de um mercado cada vez mais competitivo e complexo deve fazer parte da agenda estratégica das organizações.


Afinal, ser transformador é ter a capacidade de criar uma cultura e contagiar as pessoas. Esse também é o papel da liderança nas organizações.


#tambaquivalley

8 visualizações0 comentário